Tairum

O meu bichinho com os jogos começou muito antes da Xbox 360. Nos tempos da megadrive e SNES eu fui o felizardo (ou o azarado, vendo bem as coisas) que teve o CD-i da Philips como primeira consola. Descrita como uma das piores consolas de sempre, foi nessa mesmo que me iniciei neste grande vicío que vou alimentando com regularidade, juntamente com o computador.

E os anos passaram, o CD-i ficou para trás e só o computador persistiu. Continuei a manter contacto com as consolas tanto em casa de amigos como em casa do meu primo, que tinha uma Xbox. Com o lançamento da Xbox 360 no Natal de 2005 finalmente decidi voltar a jogar sentado em frente à televisão em vez de exclusivamente no computador e adquiri a minha 2ª consola no verão de 2006, uma Xbox 360 com o Project Gotham Racing 3.

Uma das coisas que me chamou logo a atenção foram as conquistas que se iam desbloqueando à medida que jogava. De início achei apenas uma gimmick engraçada, mas rapidamente me apercebi que aqueles pontos que me davam por fazer tanto coisas normalíssimas como coisas que requeriam uma exploração mais aprofundada do jogo eram bem maiores do que me pareceram no ínicio. E assim fiquei viciado nas conquistas e no gamerscore, que entretanto viraram moda para todo e qualquer jogo e plataforma.

As conquistas foram-me entretendo, mas precisava de mais. Só passado um ano depois de ter adquirido a consola, é que finalmente me conectei ao Live, no verão de 2007. Aí descobri os jogos arcade e o vício que é jogar online.

Desde então a biblioteca de jogos tanto digital como retail tem vindo a aumentar a um ritmo demasiado elevado para ir acompanhando como gostaria. O bichinho das conquistas está mais controlado, pois não há tempo para desbloquear tudo, mas continua forte o suficiente para ir dedicando um tempinho extra a cada jogo e ir aumentando a minha pontuação.

Anúncios